domingo, 10 de junho de 2018

Absenteísmo e democracia II

Desalento - Há um sentimento generalizado de desilusão com a política, incentivado pela mídia tradicional, que pode ser o principal inimigo da retomada da democracia. Eleições suplementares, realizadas recentemente, tiveram índice de absenteísmo preocupante. Somados com os votos brancos e nulos e as abstenções, os votos perdidos totalizaram mais de 50%. O principal beneficiário do desalento é o golpismo, para quem a falta de legitimidade dos eleitos é o mais um motivo para que eles sejam mantidos reféns do poder econômico.

Arbitrariedade - A prisão do presidente Lula tem o objetivo único de excluí-lo da disputa eleitoral, e é um fator de aprofundamento da ilegitimidade do pleito. Líder absoluto em todas as pesquisas, o pré-candidato do PT  representa a esperança de milhões de brasileiros e brasileiras, e a tentativa de exclusão é mais um golpe contra a democracia.

Desafio - O movimento pela libertação do presidente Lula, assim, vai se tornando muito maior (e mais importante) do que a luta contra uma evidente arbitrariedade. As manifestações contra a prisão injusta, que ocorrem em vários pontos do país, também serão espaços de reafirmação dos compromissos com a democracia.

Manifestações - Neste último final de semana começaram a acontecer, na cidade de São Paulo, atos políticos e culturais em defesa da libertação imediata do presidente Lula. Convocados pelo #Comitê Popular Lula Livre, as manifestações têm o objetivo principal de "contestar a prisão e mostrar indignação em relação a essa injustiça".  No próximo sábado, dia 16 de junho, o ato acontece no bairro do Grajaú, na Praça Alfredo Alves de Oliveira, perto do Pronto Socorro Maria Antonieta.

Otimismo, invisibilidade e luta de classes

Otimismo - Já confessei meu otimismo em outras ocasiões, e insisto em reafirmá-lo, em todos os momentos, para não perder o ânimo de lutar....