sábado, 9 de fevereiro de 2019

Democracia e resistência

Duplicidade - Os absurdos da condenação mais recente do presidente Lula são reveladores do comprometimento do judiciário com o golpismo e com o fascismo. A exemplo que havia acontecido no julgamento sobre o triplex do Guarujá, não existem provas de que o sítio que motivou essa condenação pertença ao presidente Lula, e o único indício disso foi colhido em depoimento da delação premiada. Um condenado diz qualquer coisa com o objetivo de amenizar ou diminuir a própria pena. No caso específico, a juíza que proferiu a sentença se refere a depoimentos de duas pessoas, quando, na verdade, partiram de um mesmo depoente. O apelido do dedo-duro ganhou vida, e ele se multiplicou por dois.

Engano - Há um engano na esquerda, sem qualquer má intenção, na separação entre os valores disseminados pelo governo fascista e o programa econômico do mesmo governo. O engano incentiva tentativas de separar frases folclóricas (e até engraçadas) de figuras do ministério do "coiso" de proposições dirigidas ao mercado financeiro. Essas interpretações buscam apresentar as frases folclóricas e engraçadas como uma espécie de cortina de fumaça para propostas de retirada de direitos trabalhistas e de reformas na seguridade social. 

Economia - A pauta moral do governo não serve, exclusivamente, para dialogar com o conservadorismo existente na sociedade. Se o governo fascista conseguir eliminar  a compra de pílulas do dia seguinte e de dispositivos intra uterinos, vai economizar recursos que terão a mesma destinação do dinheiro resultante da reforma da previdência. Os moralistas serão atendidos e os banqueiros ficarão um pouco mais ricos do que eles já são. A mesma economia de recursos financeiros também pode acontecer se forem eliminadas as compras de livros de literatura. 

Lógica - O raciocínio do enxugamento do aparato estatal combina com a pauta conservadora do fascismo, e isso, desgraçadamente. não se limita ao governo federal. O novo governador paulista, ao vetar proposta de atendimento 24 horas para as delegacias especializadas em atender as mulheres, se refere a uma limitação no orçamento, mas, ao mesmo tempo, favorece a lógica de que "mulher tem mesmo é que apanhar" e ficar quieta diante da violência.

Legitimidade - Não são poucos os seguidores do "coiso" que reivindicam o direito que eles acham ter de defender os absurdos que defendem. Sempre achei que muitas das imbecilidades que ele disse na campanha eleitoral já existiam na sociedade brasileira. O conservadorismo enrustido se transformou em governo, e a hipocrisia passou a fazer parte do nosso cotidiano, com certo destaque. Há pessoas que defendem, abertamente, a discriminação racial e a violência contra as mulheres e, ao mesmo tempo, se declaram cristãos. Uma contradição difícil de explicar.

39 anos I - Antes da fundação do Partido dos Trabalhadores, os militantes sindicais e dos movimentos sociais populares tinham, como única opção, serem cabos eleitorais de candidaturas dos partidos permitidos de existir. No cotidiano, o apoio às lutas dos trabalhadores e do povo era exercido por figuras públicas que se identificavam com as demandas populares e com as reivindicações dos sindicatos de trabalhadores.

39 anos II - Na primeira eleição em que houve a participação do PT, em 1982, obtivemos mais de 11% dos votos para o governo de São Paulo (nosso candidato foi o presidente Lula), e elegemos uma pequena quantidade de parlamentares. Desde então temos insistido em ampliar nossa representação institucional e, ao mesmo tempo, temos trabalhado para fortalecer os sindicatos de trabalhadores e os movimentos sociais populares. O esforço é enorme, mas os desafios que sempre enfrentamos nos credenciam para seguir em frente. Um abraço a todos e a todas que, no seu cotidiano, trabalham para a construção e para o fortalecimento do PT. 

Luta permanente e contínua

Destruição  - Por ocasião da morte de mais um militante metalúrgico da cidade de São Paulo, texto de autoria do companheiro Sebastião Net...