segunda-feira, 23 de julho de 2018

Eleição e disputa de projetos

Golpismo - O golpe de 2016 teve o objetivo principal de suprimir os direitos dos trabalhadores e de eliminar programas de inclusão social. A intenção clara do golpismo foi de interromper o círculo virtuoso de desenvolvimento com distribuição de renda, iniciado nos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma. Posteriormente, com a prisão arbitrária do presidente Lula, o mesmo golpismo busca evitar, por todos os meios possíveis, que o projeto democrático e popular seja retomado, uma vez que o presidente Lula, segundo todas as pesquisas, é favorito para vencer a eleição de outubro.

Mídia - Um dos instrumentos do golpe, a mídia tradicional, busca disseminar, no seu noticiário, a impressão de um inexistente isolamento do presidente Lula. Outra tentativa midiática indisfarçável é a de convencer a opinião pública de uma suposta (e inexistente) inviabilidade eleitoral da candidatura. Notícias sobre pedido judicial para que o presidente Lula seja declarado inelegível, antes mesmo do registro da candidatura; e informações sobre questionamentos de um dos aliados históricos do PT, ganharam destaque nos grandes veículos de comunicação. São escassas, por outro lado, as informações sobre o Festival Lula Livre, que acontece no próximo sábado, no Rio de Janeiro; e sobre a continuidade da resistência no acampamento de Curitiba. 

Judiciário - Juízes e tribunais sempre funcionaram, como parte integrante do golpe. A proximidade do período eleitoral reforça o papel do poder judiciário, e os magistrados são exibidos, como celebridades, nos grandes veículos de comunicação. A judicialização da disputa política, uma tendência antiga da história brasileira, ganhou espaço importante depois do golpe de 2016. Mais do que julgar casos a eles submetidos, por partes em desacordo, o poder judiciário passou a ocupar espaço institucional e político, tendo se tornado decisivo, no caso do enfrentamento do conservadorismo contra o PT. Não são poucas as condenações sem provas, todas contra petistas. São numerosos os exemplos de impunidade, todos de não petistas. 

Parlamento - Os deputados federais da atual legislatura são, majoritariamente, conservadores. Para os artífices do golpe não foi difícil convencê-los da necessidade de derrotar o PT. O motivo poderia ser qualquer outro, mas a acusação da prática de "pedaladas fiscais" foi o principal argumento utilizado na votação do "impeachment" por parlamentares que, ancorados no noticiário midiático, determinaram a destituição da presidenta Dilma, democraticamente eleita. 

Objetivos - O golpismo espalhou seus tentáculos na sociedade, e se assegurou, por diversos meios, que seus objetivos seriam alcançados. O corte generalizado de gastos determinou o fechamento de equipamentos públicos e a redução de investimentos oficiais em programas de inclusão social; a supressão de direitos dos trabalhadores assegurou apoio empresarial ao governo sem voto; e medidas foram implantadas sob encomenda de bancadas apoiadas pelo agronegócio e por fabricantes de armamentos, como a liberalização do uso de agrotóxicos e da comercialização de armas letais.

Projetos - A revogação das medidas adotadas pelo governo sem voto só será possível com a volta do presidente Lula ao Palácio do Planalto. A retomada do projeto democrático e popular é a vontade da maioria da população brasileira. O maior empenho do golpismo, neste momento, é no sentido de inviabilizar essa possibilidade. O uso da mídia tradicional, do judiciário e do parlamento vai continuar sendo a arma do golpismo para viabilizar os seus objetivos. Para enfrentar a ofensiva golpista será necessário travar a luta institucional, através da denúncia pública e da disputa aberta com veículos de comunicação da mídia tradicional, com magistrados comprometidos com o golpe e com parlamentares subservientes ao governo sem voto. Mas será necessário, sobretudo, produzir mobilizações dos trabalhadores e das classes populares, capazes de enfrentar o golpismo e reverter medidas injustas e desumanas.   

Luta permanente e contínua

Destruição  - Por ocasião da morte de mais um militante metalúrgico da cidade de São Paulo, texto de autoria do companheiro Sebastião Net...